HITÓRICO DA ENTIDADE

 

A AMAR - Associação Maria Rosa teve início a partir do Movimento de Mulheres Urbanas (1991) que tinha entre suas atividades palestras nas comunidades sobre saúde, sexualidade, busca de auxílio às famílias de baixa renda, entre outras carências apresentadas durante o ciclo de atividades do Movimento. A partir dessas atividades, sentiu-se a necessidade de um trabalho voltado ao auxílio das mulheres vítimas de violência doméstica e seus filhos.

O Movimento das Mulheres Urbanas, juntamente com entidades parceiras conseguiu reunir 7.762 assinaturas em favor da instalação de uma Delegacia de Proteção à Mulher, à Criança e ao Adolescente, no município de Caçador.

A instalação desta Delegacia representaria na época um grande avanço e melhoria no atendimento voltado às mulheres vítimas de violência.

A Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso foi inaugurada em Caçador no dia 28/03/1995, quando a Secretária de Segurança Pública do Estado, Sra. Lúcia Stefanovich sugeriu a implantação de uma casa de apoio para acolher mulheres vítimas de violência e seus filhos.

As mulheres voluntárias que compunham o Movimento de Mulheres Urbanas iniciaram uma busca por informações a fim de instalar uma Casa Abrigo no município, quando surgiu a ideia da criação de uma Entidade para buscar recursos para a manutenção desta Casa Abrigo. Vários nomes foram sugeridos para esta entidade, quando a Sra. Iris Zeni, voluntária da época, sugeriu o nome de “Maria Rosa” pela história desta mulher batalhadora na “Guerra do Contestado”.

Desta forma, foi fundada no dia 06 de agosto de 2000 a “Associação Maria Rosa” como uma entidade não governamental e filantrópica, por iniciativa de um grupo de mulheres comprometidas com as causas sociais.

A Associação Maria Rosa - AMAR foi declarado Utilidade Pública Municipal, através da Lei nº 1.608, de maio de 2001 e Declarada Utilidade Pública Estadual, através da Lei nº 14.770, de 13 de julho de 2009.

 No dia 02 de janeiro de 2018, a Associação passou a prestar serviço de acolhimento para idosos e pessoas com deficiência, assumindo a Casa Lar São José, que até este momento vinha sendo coordenado e executado pela Prefeitura Municipal de Caçador.

A Associação Maria Rosa é uma Entidade Beneficente de Assistência Social, que mantém dois serviços de acolhimento institucional, a Casa Abrigo Maria Rosa para às mulheres, adolescentes, crianças, que sofrem violência e/ou risco social, visando segurança, integridade física, atendimento integral e multiprofissional e Casa Lar São José, acolhimento temporário e/ou de longa permanecia destinado para idosos com deficiência, idosos com algum grau de dependência, pessoas com deficiência e pessoas com deficiência com algum grau de dependência, que sofrem violência e/ou risco social, visando segurança, integridade física, atendimento integral e multiprofissional. 

  1. SERVIÇO DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL “CASA ABRIGO MARIA ROSA”.

Objetivo: proporcionar às mulheres e aos seus filhos que sofrem violência, acolhimento temporário, atendimento social, psicológico e pedagógico, de forma a proporcionar-lhes um atendimento integral, visando a sua segurança e a sua integridade física e psicológica; o encaminhamento e o acesso aos mais diversos serviços públicos e privados para garantia de direitos, para a inclusão social, para o exercício da cidadania e melhoria da qualidade de vida dessas famílias em várias áreas.

Este serviço contempla os seguintes projetos:

- Projeto Arco-Iris: : disponibilizar o atendimento pedagógico à crianças, aos adolescentes e às mães que se encontram abrigados devido às situações de violência e ou vulnerabilidade, promovendo um espaço para orientações acadêmicas e para novas aprendizagens.

- Projeto Psiquê: possibilitar atendimento psicológico às crianças, adolescentes e mulheres, acolhidos institucionalmente devido a situações de violência e/ou de vulnerabilidade social, complementando o atendimento social e pedagógico existente, de modo a promover o fortalecimento emocional, a superação de traumas e sofrimentos, o enfrentamento e a busca de soluções para situações-problema, a melhoria das habilidades sociais, acadêmicas e em outros aspectos de suas vidas.

- Projeto Extremosa: atendimento psicológico para pessoas vítimas de violência que não necessitam acolhimento institucional, mas espontaneamente buscam ajuda para seu sofrimento. Atendimento às pessoas que deixaram o Abrigo, mas que por algum motivo e em algum momento necessitam de aconselhamento psicológico, representando este um espaço oportuno e seguro, no qual as pessoas podem encontrar ajuda profissional.

 

- Projeto Oficina de Artesanato: Beneficiar mulheres e adolescentes vítimas de violência doméstica e familiar ou em situação de risco social, durante o tempo de acolhimento institucional, como uma alternativa de aprendizagem de confecção de bonecas de pano e outros produtos e possibilidade de geração de renda após a saída da Casa Abrigo

- Projeto AMAR SEM VIOLÊNCIA  O Projeto visa promover ações educativas de formação para grupos de adolescentes inseridos nas escolas no município de Caçador/SC, famílias e comunidade em geral tendo como foco a sensibilização para o enfrentamento e prevenção à violência intrafamiliar, engajando-os em uma campanha de comunicação para mobilizar a população pelo combate a violência.

- Ação Social com Grupos: prevenção a todas as formas de violência contra a mulher, através de palestras e reflexões direcionadas a grupos da comunidade.

 

2. SERVIÇO DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL - “CASA LAR SÃO JOSÉ”. Prestar acolhimento e atendimento multidisciplinar e integral de qualidade aos idosos com deficiência, idosos com algum grau de dependência, pessoas com deficiência e pessoas com deficiência com algum grau de dependência.

74e8e5c5-1a77-4f4d-bec5-94f6e419b07d.png
denuncie.png